TIRA DÚVIDAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Envie suas perguntas para ronyfaieth@hotmail.com







segunda-feira, 18 de abril de 2011

TRABALHO DE LITERATURA

ROMANTISMO NO BRASIL - POESIA


TESTE DE LÍNGUA PORTUGUESA

PROFESSORA: RONY FAIETH

1.    No texto a seguir predomina a conotação ou denotação? Justifique sua resposta usando fragmentos do texto.


Vai dar namoro
Do jeito que você me olha
Mai dar namoro
Pousou um avião no meu aeroporto
É como embarcação que chegou no meu porto
Distribuindo charme
E muita sedução
Tem jeito não
Tô gamadão
Que Deus me ajude
Ela é mais que linda ta me dando bola
Tá parecendo grude
Tá na minha cola
Tá bombeando amor esse meu coração...

2.   Observe a repetição no início dos três últimos versos. Nesse trecho encontra-se a figura chamada:
a.   Pleonasmo
b.   Anáfora
c.    Metáfora
d.   Metonímia
3.   Identifique as figuras de linguagem nos trechos a seguir:

a.  A chuva bateu na minha janela  
       Tão melancólica
             Tão fina.

R: prosopopeia

b.   Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal

R: pleonasmo e metáfora

c.    Ela se jogou da janela do quinto andar
Dorme agora
É só o vento lá fora

R: eufemismo- dorme agora( está morta)

d.  A juventude é corajosa e nem sempre conseqüente.
R: Mmetonímia- os jovens são corajosos

Leia com atenção o texto abaixo e responda as questões 4 a6 :
Soneto de Separação
De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.
Vinícius de Morais

4.  O soneto se faz de antíteses, ou seja, da figura de linguagem que consiste em apresentar idéias em oposição. Assinale a alternativa em que isto não ocorre:
a) ( ) paixão / pressentimento
b) ( ) momento imóvel / drama
c) ( ) triste / amante
d) ( ) amigo próximo / vida
e) ( ) calma / vento

5.. Identifique a figura existente no verso:

“Que dos olhos desfez a ultima chama.” metáfora

6.   Reescreva o trecho do poema formado por comparação.

 silencioso e branco como a bruma

7.  Você já aprendeu que aliteração é uma figura de linguagem construída a partir da repetição de um mesmo fonema consonantal ou sons consonantais semelhantes. Na 1a. estrofe, há aliteração? Em caso positivo, exemplifique.




8.     Produza um pequeno texto usando algumas figuras de linguagem que você estudou.






De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma

Exercício resolvido sobre orações subordinadas substantivas

O Sobrenome de Joana
Se pelo menos eu tivesse conservado meu sobrenome, suspirava sua mãe em dolorido lamento. Joana, quando criança, ouvia essa reclamação muitas vezes. Dolorido e explicável lamento: a mãe era uma mulher submissa, maltratada pelo marido. Em conseqüência, muito cedo, pensando na mãe, Joana decidiu: manteria o sobrenome de solteira, como só casaria com um homem que adotasse seu sobrenome.
Logo as oportunidades começaram a aparecer, bonita, inteligente, ela atraía a atenção dos rapazes. Proposta matrimonial não lhe faltava, até de jovem muito interessante.
  O primeiro pretendente sério foi o Marcelo. Rapaz trabalhador, queria casar. Joana, depois de um namoro morno, disse que aceitava a proposta, mas com aquela condição. Marcelo teria de adotar o sobrenome dela. Coisa que o rapaz rejeitou. Romperam o namoro ali mesmo, ao lado de uma parede de pedra.
  O segundo foi Bruno, não tão sério quanto Marcelo, porém mais inteligente. Namoraram algum tempo, ele propôs o casamento, de noite, ao sair. Suando, ouviu a exigência dela, vacilou; não lhe agradava aquilo, mas fez uma contraproposta: casariam e cada um conservaria seu sobrenome. Nada feito, retrucou Joana.
O terceiro foi Arlindo, não tão inteligente quanto Bruno, mas muito mais afetivo. Desta vez foi Joana quem levantou o assunto: quando a gente se casar, disse, eu quero que você adote meu sobrenome. Ele olhou-a espantado: a verdade é que nunca cogitara isso. Viver juntos, tudo bem; casamento nem pensar. Ela, então, após muitas lágrimas, com os olhos vermelhos de choro, mandou-o embora, indignada.
   Agora, faz tempo que está sozinha, mas tem observado com interesse um colega de escritório. Homem trabalhador, esforçado, inteligente, afetivo. Marido ideal. Problema: ele e ela têm o mesmo sobrenome, Silveira. Se casarem, esse Silveira será o sobrenome dela ou dele? Se for o caso, ela não quer nem saber.
(Moacy Scliar. Folha de São Paulo, 21.03.05. Adaptado)
1.De acordo com o texto, Joana :
a- prefere ficar só, a sair com rapazes.
b- tem saído atualmente com um colega de escritório.
c- pretende ainda se casar.
d- não gostava da mãe.
e- é vista com indiferença, geralmente, pelos rapazes.

2. No texto o termo o casamento(Terceira parágrafo) desempenha a funçao sintática de objeto diretoEssa mesma função vem desempenhada por:
a. Joana disse que aceitava a proposta
b. Ela tinha duvida de que Marcelo a amasse.
c. Joana esperava apenas isto: não perder seu sobrenome
d. A esperança de joana era que encomtraque encntrasse um marido que adotasse seu sobrenome

3. Destaque a alternativa que tenha oração subordinada substantiva predicativa
a. A mãe era uma mulher submissa
B. A verdade é que nunca cogitara isso
C. Romperam o namoro ali mesmo, ao lado de uma parede de pedra.
D. Joana, quando criança, ouvia essa reclamação muitas vezes

4. Suponha que a respeito de uma crise em um clube de futebol, dois jormais publiquem o seguinte:
JORNAL A
Os jog adores que foram criticados pelo tecnico pretendem sair do clube.
JORNAL B
Os jog adores, que foram criticadospelo tecnico, pretendem sair do clube.
Destaque a alternativa incorreta:
a. O jornal A faz uso de uma oração adjetiva restritiva
b. O jornal B informa que nem todos os jogadores foram criticados pelo tecnico.
c. O jonal B faz uso de uma oração adjetiva explicative
d. O jornal B informma que todos os jogadores foram criticados pelo tecnico

sábado, 16 de abril de 2011

ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS

(Aline, sentada no sofá) Que delícia! Eu aqui na maior moleza, enquanto o
Otto e o Pedro lavam a louça... Se todos os homens fossem iguais a eles...
(barulho vindo da cozinha) Cras... Bonc... Cra...
(Aline) ... O mundo já estaria em cacos!
1. Observe que a oração destacada relaciona-se a anterior por meio da conjunção se. Considerando o papel de elemento de coesão desempenhado pelas conjunções, indique o valor semântico da conjunção “se” nesse período.

a.Causa
b.Condição
c.Finalidade
d.Tempo

2. Embora os índices de analfabetismo tenham baixado nos últimos anos, muitos brasileiros são apenas alfabetizados funcionais. Como afirmam os especialistas, o problema será solucionado caso haja investimento em bons projetos educacionais. As conjunções que aparecem no texto exprimem respectivamente relação de:

A. Concessão, conformidade, condição
B.Concessão, conformidade, causa
C.Tempo, comparação, causa
D.Tempo, comparação, finalidade

3. FUA-AM)”Bem cuidados como são, muitos de meus livros ficaram mofados devido à umidade de Manaus.
Se refizermos a frase começando com “muitos de meus livros ficaram mofados devido à umidade de Manaus,” o sentido não será alterado se continuarmos com:

a.Contanto que bem cuidados.
b.Desde que bem cuidados
c.Porque eram bem cuidados
d.Ainda que bem cuidados

4. Ele é meu adversário, mesmo assim não posso deixar de admirá-lo. A reescrita desse período mantém o sentido original em:

a.Embora seja meu adversário não posso deixar de admirá-lo
b.Ele é meu adversário, portanto não posso deixar de admirá-lo
c.Não posso deixar de admirá-lo, já que é meu adversário
d.Ele é meu adversário, logo não posso admirá-lo.

5. Identifique a oração que possui valor de advérbio, e depois diga qual é o sentido que ela concede ao texto.
Se você disser que eu desafino, amor, saiba que isso em mim provoca imensa dor” (Tom Jobim).
condicão

b. Tudo aconteceu como estava previsto na Bíblia.
conformidade

c. A fim de que não te iludas, toma mais cuidado com os teus sentimentos.
finalidade

d. “Queremos liberdade, ainda que venha tarde” (Cecília Meireles).
concessão

domingo, 10 de abril de 2011

CONCORDÃNCIA VERBAL

(analista judiciário/arquiteto - TJ-2009)
Assinale a alternativa que apresenta a concordância verbal
correta:
a) Aconteceu, nesta noite, vários acidentes.
b) A professora e a turma chegou antes do horário
previsto.
c) Algum de vocês assinarão o orçamento aprovado pela
direção.
d) O tenista ou o nadador ganhará o título de atleta

a.Sujeito (vários acidentes) observe que o sujeito está no plural e o verbo no singular (aconteceu). A forma correta seria: aconteceram vários acidentes.
b.A professora e a turma- sujeito composto, o verbo concorda no plural, já que está anteposto- A professora e a turma chegaram.
c) Algum de vocês assinarão o orçamento aprovado pela
.direção. Nesse caso o verbo concorda no singular com “ algum”
d.O tenista ou o nadador ganhará o título de atleta – sujeito composto ligado por ou, quando tem idéia de exclusão, o verbo fica no singular, pois só um ganhará o título.
A onça-pintada
A onça-pintada é considerada como o símbolo da coragem. É muito temida por todos os animais.
Move-se, silenciosamente, com a cabeça baixa. É difícil perceber quando vai atacar porque seu pêlo, cheio de manchas, confunde-se com o mato.
Ela nada nos rios e riachos.

Responda:
1.Como a onça pintada é considerada?

2.Por que é difícil perceber a sua presença?

3) Marque as respostas corretas:
A onça pintada é temida por todos os animais. Isso quer dizer que:
( ) É uma ótima caçadora e muito feroz.
( ) É um animal calmo.
( ) Ela nada nos rios e riachos.

4.O texto nos mostra:

a)( ) Informações sobre a onça
b)( ) O desaparecimento das onças.

5.Marque a alternativa que as duas palavras possuem dígrafos.

a.Cheio, manchas
b.Animais, rios
c.Riachos, mato
d.Porque, cabeça

6. Destaque somente as palavras que possuem encontro consonantal.


Planeta – animais –flores-rios- chuva – cravo- placa - pássaros


7.Separe corretamente as sílabas das palavras a seguir:

Passarela
Avenida
Pessoas
Nascimento

LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO FUNDAMENTAL

Teste de Língua Portuguesa

O Cobrador
O dono do mercadinho foi à casa de um freguês para receber a conta. Um garotinho veio atender à porta.
- Você pode chamar seu pai? - solicitou o cobrador.
- Meu pai não está em casa - respondeu o garoto.
- Como não está? - recuou espantado o comerciante - Eu o vi na janela quando estava vindo para cá!
- Pois é, ele também viu o senhor, e por isso desapareceu.

Tomando banho
O Manuel está tomando banho e grita para Maria:
— Ô Maria, me traz um xampu!
E Maria lhe entrega o xampu. Logo em seguida, ele grita novamente:
— Ô Maria, me traz outro xampu.
— Mas eu já te dei um agorinha mesmo, homem!
— Eu sei! É que aqui está dizendo que é para cabelos secos e eu já molhei os meus.


Três da tarde
Dois baianos estão encostados numa árvore na beira da estrada.
De repente passa um carro a toda velocidade e deixa cair uma nota de cem reais que sai voando e cai do outro lado da estrada.
Depois de cinco minutos um baiano fala para o outro:
— Ô meu rei, se o vento mudar, a gente ganha o dia, oxente!



1. Os textos provocam no leitor:
a. O riso b. preocupação com o comportamento c. a necessidade de leitura
2. As anedotas tratam, respectivamente de:
a. Inadimplência, preguiça, erro de interpretação
b. Ambição, excesso de velocidade, preguiça
c. Preguiça, dinheiro, cuidado com os cabelos
d. Inadimplência, erro de interpretação, preguiça
3.No primeiro texto:
a. O cliente saiu de casa porque não sabia que o cobrador poderia aparecer para cobrá-lo.
b. Escondeu-se porque viu o cobrador
c. O menino não viu o memento em que o pai se escondeu.
d. O cliente tinha a intenção de pagar o que devia.
4.Na oração “O dono do mercadinho foi à casa de um freguês para receber a conta”. O sujeito da oração è:

a. Mercadinho
b. Casa
c. Freguês
d. O dono do mercadinho

5. Um garotinho veio atender à porta. Nessa oração o sujeito é:
a. simples b. composto c. indeterminado d. desinencial
6. Na oração “Há xampus para cabelos secos”, o sujeito é:
a. indeterminado b. simples c. oração sem sujeito d. desinencial
7. Qual enunciado a seguir não pode ser considerado oração?

a. Ô Maria, me traz um xampu! C. Onde está seu pai?
b. Que homem esperto! D. Você pode chamar seu pai?
8. Associe:
a. sujeito simples
b. desinencial
c. oração sem sujeito
d. composto
e. Indeterminado
( ) Meu pai não está em casa.
( ) O pai e o menino estavam em casa.
( ) Quebraram a porta da casa amarela.
( ) Havia pessoas naquela casa.
( ) gosto de um bom livro
9. Reescreva todas as formas verbais do segundo texto.

domingo, 3 de abril de 2011

PROVA SOBRE VARIAÇÕES LINGUÍSTICA E FIGURAS DE LINGUAGEM

1. Considere o texto abaixo:
“A variação é inerente às línguas, porque as sociedades são divididas em grupos: há os mais jovens e os mais velhos, os que habitam numa região ou outra, os que têm esta ou aquela profissão, os que são de uma ou outra classe social e assim por diante. O uso de determinada variedade lingüística serve marcar a inclusão num desses grupos, dá uma identidade para os seus membros. Aprendemos a distinguir a variação. Quando alguém começa a falar, sabemos se é de São Paulo, gaúcho, carioca ou português. Sabemos que certas expressões pertencem à fala dos mais jovens, que determinadas formas se usam em situação informal, mas não em ocasiões formais. Saber uma língua é ser “poliglota” em sua própria língua. Saber português não é só aprender regras que só existem numa língua artificial usada pela escola. As variações não são fáceis ou bonitas, erradas ou certas, deselegantes ou elegantes, são simplesmente diferentes. Como as línguas são variáveis, elas mudam.”
FIORIN, José Luiz. “Os Aldrovandos Cantagalos e o preconceito lingüístico”. In O direito à fala. A questão do preconceito lingüístico. Florianópolis. Editora Insular, pp. 27, 28, 2002.

Assinale a alternativa que apresenta idéia incompatível com o que se defende no texto do professor José Luiz Fiorin.
a) Todo o falante nativo de uma determinada língua tem competência lingüística, portanto a norma padrão seria uma dentre as variedades da língua.
b) Visto que qualquer língua é essencialmente heterogênea, cabe à escola enfatizar o conhecimento das regras, a fim de que os falantes desenvolvam a competência discursiva.
c) A língua sofre a influência do contexto em que o falante está inserido, dessa forma ensino da língua não preconceituoso pressupõe reconhecer o fato de que as diferentes formas de falar constituem variedades lingüísticas que não devem ser desprezadas.
d) A competência discursiva do aluno não pode ser medida pela variedade lingüística por ele empregada.
e) O falante “poliglota” revela sua competência lingüística uma vez que é capaz de distinguir diferentes variações em sua própria língua.
2. No trecho “quando alguém começa a falar, sabemos se é de São Paulo, gaúcho, carioca ou português” (l.5). O autor faz referência a um tipo de variação linguística que se encontra na alternativa:

a. sociocultural
b. histórica
c. geográfica
d. coloquial


3.Considere o texto abaixo:
“Os lingüistas sabem que não vale tudo, porque a língua, em todas as suas variantes, obedece a um conjunto de regras. Sabem, no entanto que esse conjunto de regras pode ser distinto de uma variante para a outra. Em segundo lugar, é preciso considerar que há formas lingüísticas que podem ser usadas em determinadas situações de comunicação e não em outras e que há regras que são observadas por todos os falantes de uma dada língua e outras que não são gerais. (...)
Usar uma variante inadequada cria uma imagem inadequada do falante. “
FIORIN, José Luiz. “Os Aldrovandos Cantagalos e o preconceito lingüístico.” In O direito à fala. A questão do preconceito lingüístico. Florianópolis. Editora Insular, pp. 35,36, 2002.

Com base no texto, levando em consideração a situação de interlocução, assinale a alternativa que apresenta inadequação quanto ao aspecto lingüístico.
a.Por gentileza, senhor, dirija-se a segunda sala. ( a secretária de uma empresa para um cliente)
b.A gente é também responsável pelo fracasso do aluno, se os governantes não faz o que eles merece, nós temo a obrigação de fazer. ( um professor em uma reunião de pais e mestres.)
C. -Lê, a comida está na geladeira, não deixa nada sujo garoto.
–tá bom, já ouvi.( diálogo entre irmãos)
d.KD vc?? Sumiu?
tô estudando.
tá bom. Xau,xau.( conversa de amigos no MSN)

4.(U. F. VIÇOSA) — Suponha um aluno se dirigindo a um colega de classe nestes termos: “Venho respeitosamente solicitar-lhe se digne emprestar-me o livro.” A atitude desse aluno se assemelha à atitude do indivíduo que:
a) comparece ao baile de gala trajando “smoking”.
b) vai à audiência com uma autoridade de “short” e camiseta.
c) vai à praia de terno e gravata.
d) põe terno e gravata para ir falar na Câmara dos Deputados.
e) vai ao Maracanã de chinelo e bermuda.
5. .Comente sobre a linguagem dos textos, se é conotativa ou denotativa, se são literários ou não literários.
a. Na região nordeste do Japão, devastada pelo terremoto e tsunami de 11 de março, 25 mil soldados japoneses e americanos entraram no terceiro dia de buscas de vítimas. Até o momento apenas 167 corpos foram recuperados.

b. Máquina breve
O pequeno vaga-lume
com sua verde lanterna,
que passava pela sombra
inquietando a flor e a treva
— meteoro da noite, humilde,
dos horizontes da relva;
o pequeno vaga-lume,
queimada a sua lanterna,
jaz carbonizado e triste
e qualquer brisa o carrega:
mortalha de exíguas franjas
que foi seu corpo de festa

6. (UEL-PR) – Está usada em sentido denotativo a palavra sublinhada em:
a Embriagava-se daquela paisagem de intensas cores e cheiros.

b)
O homem batendo com violência no animal, que se aproximava vagarosamente..
c) Era a brisa do amanhecer que lhe afagava no peito uma tênue esperança.
d) A menção à sua beleza e encantos próprios iluminou-se o sorriso.
e) A freada fez o pneu assobiar no asfalto, mas nada houve, além disso.
.7. (FUVEST–SP) – Na frase “(...) data da nossa independência política, e do meu primeiro cativeiro pessoal”, ocorre o mesmo recurso expressivo de natureza semântica que em:
a) Meu coração / não sei por quê / Bate feliz / quando te vê.
b) Há tanta vida lá fora / Aqui dentro, sempre / Como uma onda no mar.
c) Se lembra da fogueira, / Se lembra dos balões, Se lembra dos luares dos sertões?
d) Meu bem querer, / É segredo, é sagrado, / Está sacramentado / Em meu coração.
MAR PORTUGUÊS
Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
8. Em relação aos versos acima, ocorrem, respectivamente, duas figuras de linguagem nomeadas:

a) Metáfora e onomatopéia.
b) Catacrese e ironia.
c) Anacoluto e antítese.
e) Pleonasmo e metáfora.

sábado, 2 de abril de 2011

TESTE DE LITERATURA ( ROMANTISMO)

TESTE DE LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA
1. "Deus! Oh, Deus! Onde estás que não respondes? Em que mundo, em qu'estrelas tu t'escondes Embuçado nos céus? Há dois mil anos te mandei meu grito, Que embalde desde então corre o infinito... Onde está senhor Deus?...”
Esta é a primeira estrofe de um poema que é exemplo de:
a.Lirismo subjetivo, marcado pelo desespero do pecador arrependido
b.Lirismo religioso, exprimindo o anseio da alma humana em procura da divindade.
c.Lirismo romântico de tema político-social, exprimindo o anseio do homem pela liberdade.
d. Romantismo nacionalista repassado da saudade que atormenta o poeta do exílio

2. A alternativa que traz apenas características do Romantismo:
a.Idealismo, religiosidade, objetividade, escapismo, temas pagãos
b.Predomínio Da razão sentimento, liberdade criadora, temas cristãos, natureza, racionalismo.
c. Idealismo, insatisfação, escapismo, objetividade
d.Nacionalismo, egocentrismo, escapismo, poesia social
3. UM ÍNDIO
"um índio descerá de uma estrela colorida brilhante
De uma estrela que virá numa velocidade estonteante
E pousará no coração do hemisfério sul na América
Num claro instante
(...)
Virá
Impávido que nem muhammad ali
Virá que eu vi
Apaixonadamente como peri ”
(Caetano Veloso)
O trecho anterior mostra, com uma visão contemporânea, determinado tipo de tratamento dado ao índio brasileiro em certo período de nossa literatura. Assinale a alternativa em que aparecem os nomes de dois autores que manifestaram tal tendência.
a.Gonçalves de Magalhães e Álvares de Azevedo
b.Castro Alves e Tobias Barreto
c. Gonçalves Dias e José de Alencar.
d.Fagundes Varella e Visconde de Taunay
4. Leia e a seguir destaque a alternativa correta
I.______________________ é lembrado como poeta indianista e um dos principais introdutores do Romantismo no Brasil.
II. ________________________ se liga á terceira geração romântica, a poesia abolicionista é um dos destaques.
III.________________________ É o nome mais importantes do ultra-romantismo brasileiro (a segunda geração romântica), seus poemas falam sobre o tédio da vida, do sentimento de morte e da frustração amorosa.
IV.________________________ Tornou-se um dos povos mais populares do Brasil, graças a seu lirismo ingênuo e adolescente. EX: As primaveras.
A alternativa que preenche corretamente as lacunas é:
a.Casimiro de Abreu, Castro Alves, Álvares de Azevedo Gonçalves Dias
b.Gonçalves Dias, Castro Alves, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela
c.Gonçalves Dias, Castro Alves, Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu
d.Gonçalves Dias, Castro Alves, Casimiro de Abreu, Álvares de Azevedo
5. (UNA) Todas as alternativas estão corretas quanto a obra Iracema, de José Alencar, exceto:
a.O título da obra pode ser considerado um anagrama de América
b.Iracema e Martim representam, respectivamente, o mundo selvagem e o mundo civilizado.
c.O nome da personagem Moacir, filho de Iracema e Martim, significa o filho do sofrimento.
d.Poti, personagem principal, mostra a integridade do indígena.6.(UFRS-RS) Leia o texto abaixo.
................... é um tema presente na poesia ................... de cunho romântico no Brasil; nela, a mulher é freqüentemente ................... Sob o olhar apaixonado do poeta, que usa ................... como termo de comparação capaz de expressar a intensidade dos seus sentimentos.
Assinale a alternativa que preenche adequadamente as lacunas desse texto.
a. O amor — nacionalista — idealizada — a natureza
b. A pátria — sentimental — martirizada — o mito
c. O amor — intimista — idealizada — a religião
d. A infância — histórica — divinizada — a Idade Média
7. (UFRS-RS)
“Tristeza
Por favor, vai embora
Já é demais o meu penar
Quero voltar àquela vida de alegria
Quero de novo cantar.”
Nos conhecidos versos da canção popular, o eu lírico situa-se em oposição a uma das características do Romantismo:
a)ênfase no aproveitamento poético da paisagem local.
b)não-conformismo aos valores estabelecidos.
c)gosto pela melancolia e pelo sofrimento.
d)culto à razão, em detrimento das emoções.
8. (FUVEST)
“um anjo do céu Que é praeu cuidar
Que me escolheu Que é pra eu amr
Serei o seu corpo Gota cristalina
Guardião da pureza Tem toda inocência”

Os versos da canção “Anjo do céu”, de Armandinho, pode ser comparado:
a.Aos poemas de Castro Alves que apresentam uma visão idealizada da mulher.
b.Ao nacionalismo de alguns poetas românticos
c.Ao pessimismo de Junqueira Freire
d.Ao amor idealizado e puro de Álvares de Azevedo
9. (FUVEST-SP) “A poesia deixa de ser apenas um lamento sentimental murmurado em voz baixa para ser também um grito de protesto político ou reivindicação social.” Esse fragmento a dois momentos da poesia romântica que pode ser definidos respectivamente, como:
a.1ª geração romântica_2ª geração romântica
b.Ultra-romantismo_condoreirismo
c.Geração condoreira_geração mal-do- século
d.Ultra-romântica_ indianista
10. (FEI-SP) Em qual das alternativas há erro na caracterização do autor?
a. Álvares de Azevedo escreveu poemas que falam de amor e de morte, tédio e spleen.
b. Fagundes Varela é considerado um poeta de transição entre a segunda e a terceira geração
c. Castro Alves, conhecido como poeta condoreiro, escreveu também poemas de amor. Neles a mulher é sempre um anjo, distante, inatingível; o amor não é concretizado.
d Gonçalves de Magalhães pertence a primeira geração romântica brasileira conhecida como nacionalista.
11. Observe a frase abaixo:

Se for para _____ falar o que penso, creio que a escolha deve ser feita entre _____ e _____.
Segundo a norma culta, os pronomes que completam adequadamente as lacunas são respectivamente:

a.. Eu / mim e ti
b..Mim/ eu e tu
c. Eu/ mim e tu
d. Mim/ eu e ti
12. Indique a alternativa que preenche corretamente os espaços a seguir.


I. Sinto um arrepio quando ela me fita com __________ belíssimos olhos.
II. Quanto custa ___________ revista que está em suas mãos?
III. A palavra de que os alunos mais gostam é ___________: férias
IV. “Nós nos veremos em breve”. Com __________ frase o major se despediu.
a.Aqueles, essa, essa, essa
b. Aqueles, essa, esta, essa
c.Esses, esta, esta, essa
d. Aqueles, essa, essa, esta
13.” Não é de se estranhar que o desenvolvimento da poesia romântica tenha precedido o da prosa de ficção. Quando ____________ esta fazia suas primeiras tentativas mais consistentes, na década de 1840 ______________ já tinha o seu primeiro grande poeta_ Gonçalves Dias”.
a. Aquela esta
b. Esta, aquela
c. Aquela, essa
d. Essa, aquela
14. “As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se a sua posse permanente, cabendo-lhes o usufruto exclusivo das riquezas do solo, dos rios e dos lagos nelas existentes. Os pronomes em destaque referem-se respectivamente:
a. Índio, terras
b. Terras, riquezas
c. Terras, índios
d. Riquezas, índios
15. Nas frases a seguir os pronomes foram empregados segundo a norma culta, exceto:
a. Como o motorista poderia imaginar que tu estarias lá?
b. Ele chegou e já mudou a paisagem: o verão agita as praia brasileiras
c. Perguntei-lhe se aquele negro era escravo dele.
d. Achei melhor dizer que já conhecia ele.

EXERCÍCIO SOBRE FIGURAS DE LINGUAGEM

Luz Dos Olhos
Cássia Eller

Ponho os meus olhos em você se você está
Dona dos meus olhos é você, avião no ar
Um dia pra esses olhos sem te ver é como o chão do mar
Liga o rádio a pilha e a TV só pra você escutar...
A nova música que eu fiz agora
Lá fora a rua vazia chora
Os meus olhos vidram ao te ver, são dois fãs, um par
Pus nos olhos vidros pra poder melhor te enxergar
Luz dos olhos, para anoitecer é só você se afastar
Pinta os lábios para escrever a tua boca em minha...
Que a nossa música eu fiz agora
Lá fora a Lua irradia a glória

1.As figuras de linguagem predominantes no trecho acima são:
a.Métafora,comparação e pleonasmo
b.Antítese, metáfora e aliteração

c.Metáfora,comparação e prosopopeia

d.Metonímia, comparação e aliteração

2. Identifique as figuras de linguagem nos trechoa a seguir:
a. O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada. (Carlos Drummond de Andrade)
R: metonímia

b. Não digas onde acaba o dia.
Onde começa a noite.
Não fales palavras vãs.
As palavras do mundo.
Não digas onde começa a Terra,
Onde termina o céu
Não digas até onde és tu.
Não digas desde onde és Deus. ( Cecília Meireles)
R: antítese( noite e dia,céu e terra)

c. Colar de Carolina
Com seu colar de coral
Carolina
corre por entre as colunas
da colina.
O colar de Carolina
colore o colo de cal
torna corada a menina.
R: aliteração(repetição do fonema consonantal)

d.Meu último amor eterno
acabou ontem
Que sofrimento de cão!
Depois de tanta paquera,
beijo e abraço,
carinho e amasso,
carta e até presente...
polissídeto e metáfora