" Até onde posso vou deixando o melhor de mim...
Se alguém não viu...
Não me sentiu com o coração."
Clarice Lispector


Qualquer dúvida relacionada aos conteúdos deste blogger entre em contato pelo endereço ronyfaieth@hotmail.com.
















domingo, 30 de outubro de 2016



CENTRO DE ENSINO AMADO JOAQUIM – CEAJ
PROFESSORA: RONY FAIETH
ALUNO(a): __________________________________________
TESTE DE LITERATURA
1.(PUC-SP) A respeito de Capitu, personagem do romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, é correto afirmar que:
a) é a figura central da trama narrativa porque se envolve em uma situação de adultério que leva à destruição de seu casamento com Bentinho.
b) tem um papel secundário e insignificante na ordem do enredo, já que todas as ações da narrativa convergem para um desfecho do qual ela não participa.
c) é caracterizada pelo agregado José Dias como cigana oblíqua e dissimulada e sobre ela incide ainda a metáfora de “olhos de ressaca”, que lhe é atribuída por Bentinho.
d) recaem sobre ela incriminações de ordem moral que a fazem merecedora das desconfianças dos amigos e do fim trágico a que chegou.

2. (Uerj)    Olhos de ressaca
Enfim, chegou a hora da encomendação e da partida. Sancha quis despedir-se do marido, e o desespero daquele lance consternou a todos. Muitos homens choravam também, as mulheres todas. Só Capitu, amparando a viúva, parecia vencer-se a si mesma. Consolava a outra, queria arrancá-la dali. A confusão era geral. No meio dela, Capitu olhou alguns instantes para o cadáver tão fixa, tão apaixonadamente fixa, que não admira lhe saltassem algumas lágrimas poucas e caladas.
As minhas cessaram logo. Fiquei a ver as dela; Capitu enxugou-as depressa, olhando a furto para a gente que estava na sala. Redobrou de carícias para a amiga, e quis levá-la; mas o cadáver parece que a retinha também. Momento houve em que os olhos de Capitu fitaram o defunto, quais os da viúva, sem o pranto nem palavras desta, mas grandes e abertos, como a vaga do mar lá fora, como se quisesse tragar também o nadador da manhã.
ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. Capítulo 123. São Paulo: Martin Claret, 2004.
O personagem-narrador do romance Dom Casmurro encontra-se, no capítulo transcrito, angustiado pela dúvida: o possível adultério de sua esposa, Capitu, com seu melhor amigo, cujo velório ora se narra. O título “Olhos de Ressaca” pode ser justificado pela seguinte passagem:
a) “Capitu olhou alguns instantes para o cadáver...”
b) “olhando a furto para a gente que estava na sala.”
c) “Redobrou de carícias para a amiga, e quis levá-la;”
d) “...como se quisesse tragar também o nadador da manhã
3. (Conc. Federal) Machado de Assis, em Dom Casmurro, mostra Capitu como personagem de maior destaque. Bentinho nutria, em relação a ela, sentimentos de
(A) profunda admiração e respeito.               (B) amor desmedido.                (C) verdadeira veneração de ordem espiritual.
(D) ciúme exacerbado, raiando os limites de doença mental.                         (E) nenhuma admiração ou respeito

4.(UFL) Todas as alternativas apresentam informações sobre Dom Casmurro, de Machado de Assis, exceto:
(A) A questão do adultério, tratada de forma ambígua pelo autor, permanece em aberto no fim da narrativa.
(B) O narrador, através do exercício da memória, busca ligar o presente ao passado, a velhice à adolescência.
(C) O narrador protagonista, ao assumir a primeira pessoa, apresenta uma visão tendenciosa dos acontecimentos.
(D) O autor, introduzindo-se na narrativa, fornece ao leitor informações que contradizem as opiniões do narrador.
(E) A narrativa, marcada pela ironia, mantém uma relação intertextual com a tragédia Otelo, de Shakespeare.

5.(UFU-MG) Considere a obra Dom Casmurro, de Machado de Assis, e as afirmativas que se seguem:
I. D. Glória tentava impedir o casamento de Bentinho com Capitu, pois desejava que ele se unisse a Sancha.
II. Bento Santiago não teve problemas em homenagear o amigo Escobar, por ocasião de seu enterro, pois era seu melhor amigo.
III. A cena descrita no velório de Escobar (homens e mulheres chorando) é uma característica do Romantismo presente em todo o Dom Casmurro — obra que tem como tema os infelizes amores de Bentinho e Capitu.
IV. “Olhos de ressaca” — referência dada a Capitu — evidencia o seu poder de envolvimento e o grande fascínio que ela exerce sobre Bentinho, tal quais as vagas do mar.
V. Apesar da suspeita de adultério, o amor consegue superar a desconfiança fazendo com que Bentinho se reconcilie com a família de Capitu.
Assinale:
(A) Se apenas IV é correta.   (B) Se apenas I, II são corretas.    (C) Se apenas III e V são corretas.   (D) Se apenas V é correta. 
6.Ela saltou em meio da roda, com braços na cintura, rebolando as ilhargas e bamboleando a cabeça (...) numa sofreguidão (...) carnal, num requebrado luxurioso que a punha ofegante: já correndo de barriga empinada, já recuando de braços estendidos, a tremer toda, como se fosse afundando num prazer grosso que nem azeite em que se não toma pé e nunca se encontra o fundo."
O trecho acima faz referência ao personagem:
a.       Capitu                b. Rita Baiana          c. Marcela          d. Bertoleza
7.Assinale a alternativa que identifica e caracteriza a obra de Aluísio Azevedo a que pertence o trecho lido na questão 6
a. É um trecho de O mulato em que o autor faz uma crítica violenta aos preconceitos sociais e à decadência dos costumes da burguesia.
b. Trata-se do romance O cortiço, que focaliza a vida de imigrantes e pequenos operários dividindo espaços num meio promíscuo e miserável.
c. Refere-se a um trecho de O cortiço em que o autor faz um aprofundamento psicológico na análise das personagens que vivem numa habitação coletiva.
d. É um trecho de O mulato, considerado romance naturalista porque descreve sensualmente a mulata Rita Baiana com toda a sua força sedutora, fornecendo uma visão estática de uma situação apreendida fotograficamente em dado momento.
8.São características da obra O Cortiço, consideradas típicas do Naturalismo, entre outras,
a) o idealismo e o comportamento determinista.           d) a ênfase no aspecto material da vida e o comportamento sofisticado.
b) as comparações dos seres humanos com animais.     e) a representação objetiva da vida e o endeusamento do ser humano.
c) a fuga à realidade e o positivismo exacerbado
9.Acerca do romance O Cortiço, de Aluísio Azevedo, não é correto dizer que:
a) todas as personagens, por serem muito pobres, enveredam pelo mundo do crime ou da prostituição.
b) as personagens, ainda que todas sejam pobres, possuem temperamentos distintos, tais como Bertoleza, Rita Baiana e Pombinha.
c) homens e mulheres são, na sua maioria, vítimas de uma situação de pobreza que os desumaniza muito.
d) as personagens, na sua maioria, sejam homens ou mulheres, vivem quase que exclusivamente em função dos impulsos do desejo e da perversidade sexual.
e) a vida difícil das personagens, tão ligadas à criminalidade e à prostituição, é condicionada pelo meio adverso em que vivem.

Bertoleza, que havia já feito subir o jantar dos caixeiros, estava de cócoras no chão, escamando peixe, para a ceia do seu homem, quando viu parar defronte dela aquele grupo sinistro. Reconheceu logo o filho mais velho do seu primitivo senhor, e um calafrio percorreu lhe o corpo. Num relance de grande perigo compreendeu a situação: adivinhou tudo com a lucidez de quem se vê perdido para sempre. Adivinhou que tinha sido enganada; que a sua carta de alforria era uma mentira, e que o seu amante, não tendo coragem para matá-la, restituía-a ao cativeiro. Seu primeiro impulso foi de fugir. Mal, porém, circunvagou os olhos em torno de si, procurando escapula, o senhor adiantou-se dela e segurou-lhe o ombro.
— É esta! Disse aos soldados que, com um gesto, intimaram a desgraçada a segui-los. — Prendam-na! É escrava minha!
A negra, imóvel, cercada de escamas e tripas de peixe, com uma das mãos espalmada no chão e com





Os policiais, vendo que ela se não despachava, desembainharam os sabres. Bertoleza então, erguendo-se com ímpeto de anta bravia, recuou de um salto, e antes que alguém conseguisse alcançá-la, já de um só golpe certeiro e fundo rasgara o ventre de lado a lado. E depois emborcou para a frente, rugindo e esfocinhando moribunda numa lameira de sangue.
João Romão fugira até o canto mais escuro do armazém, tapando o rosto com as mãos.
Nesse momento parava à porta da rua uma carruagem. Era uma comissão de abolicionistas que vinha, de casaca, trazer-lhe respeitosamente o diploma de sócio benemérito.
Ele mandou que os conduzissem para a sala de visitas.
(AZEVEDO, Aluísio. O Cortiço. Rio de Janeiro)
10. Qual a importância da personagem Bertoleza para o crescimento econômico de João Romão?



11. Comente sobre o comportamento de João Romão e Bertoleza, explicitando por que esses personagens se enquadram no Realismo/Naturalismo.




12. Em O Cortiço, Aluísio Azevedo reafirma a ideologia do Naturalismo e cumpre à risca alguns princípios cientificistas vigentes na segunda metade do século XIX. Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela que Não corresponde às propostas da escola Naturalista.
a) O caráter determinista da obra tem como símbolo a personagem Pombinha, que, se antes era "pura" e de boa conduta moral, acaba prostituindo-se por força daquele meio sórdido e animalesco.
b) O narrador de O Cortiço acentua o lado instintivo do ser humano através de um processo de zoomorfização, identificando seus personagens a diferentes animais, sobretudo a insetos e vermes, quando os descreve em seu vaivém pelo cortiço.
c) Ao enfatizar as atitudes inescrupulosas de João Romão para com os habitantes do cortiço, em especial para com a negra Bertoleza, o autor confirma as preocupações sociais do Naturalismo em sua inclinação reformadora.
d) Os personagens de O Cortiço constituem-se, em sua maioria, dos operários das pedreiras, das lavadeiras e de outros miseráveis que ali vivem de forma degradante, o que evidencia a preferência do escritor naturalista pelas camadas mais baixas da sociedade.
e) Em O Cortiço, Aluísio Azevedo exprime um conceito naturalista da vida e, ao idealizar seus personagens, integra-os a elementos de uma natureza
13. Sobre a obra O Cortiço de Aluísio Azevedo é correto o que se afirma em todos os enunciados abaixo, exceto:
a.       As personagens são determinadas por um contexto de pobreza que as reduz à condições de animais.
b.       Na obra, percebe-se a influência do Determinismo
c.        Há duas classes que se condicionam mutuamente: exploradores e explorados
d.       Não há na obra preconceito entre os personagens, embora haja vários tipos sociais todos são tratados com respeito.
14. Responda  a questão a seguir a partir do fragmento de Memórias Póstumas de Brás Cubas:
(...) Um poeta dizia que o menino é o pai do homem. Se isto é verdade, vejamos alguns lineamentos do menino. Desde os cinco anos merecera eu a alcunha de “menino diabo”; e verdadeiramente não era outra coisa; fui dos mais malignos do meu tempo, arguto, indiscreto, traquinas e voluntarioso. Por exemplo, um dia quebrei a cabeça de uma escrava, porque me negara uma colher do doce de coco que estava fazendo, e, não contente com o malefício, deitei um punhado de cinza ao tacho, e, não satisfeito da travessura, fui dizer à minha mãe que a escrava é que estragara o doce “por pirraça”;
Por que pode se afirmar que o personagem Brás Cubas apresenta características do Realismo, movimento literário da segunda metade do século XIX?
15. Faça comentários a respeito da obra Memórias Póstumas de Brás Cubas evidenciando as características do Realismo e o estilo do autor Machado de ASSIS.


TIPO 2
CENTRO DE ENSINO AMADO JOAQUIM – CEAJ
PROFESSORA: RONY FAIETH
ALUNO(a): __________________________________________
TESTE DE LITERATURA
1.(PUC-SP) A respeito de Capitu, personagem do romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, é correto afirmar que:
a) é caracterizada pelo agregado José Dias como cigana oblíqua e dissimulada e sobre ela incide ainda a metáfora de “olhos de ressaca”, que lhe é atribuída por Bentinho.
b) tem um papel secundário e insignificante na ordem do enredo, já que todas as ações da narrativa convergem para um desfecho do qual ela não participa.
c) é a figura central da trama narrativa porque se envolve em uma situação de adultério que leva à destruição de seu casamento com Bentinho.
d) recaem sobre ela incriminações de ordem moral que a fazem merecedora das desconfianças dos amigos e do fim trágico a que chegou.

2. (Uerj)    Olhos de ressaca
Enfim, chegou a hora da encomendação e da partida. Sancha quis despedir-se do marido, e o desespero daquele lance consternou a todos. Muitos homens choravam também, as mulheres todas. Só Capitu, amparando a viúva, parecia vencer-se a si mesma. Consolava a outra, queria arrancá-la dali. A confusão era geral. No meio dela, Capitu olhou alguns instantes para o cadáver tão fixa, tão apaixonadamente fixa, que não admira lhe saltassem algumas lágrimas poucas e caladas.
As minhas cessaram logo. Fiquei a ver as dela; Capitu enxugou-as depressa, olhando a furto para a gente que estava na sala. Redobrou de carícias para a amiga, e quis levá-la; mas o cadáver parece que a retinha também. Momento houve em que os olhos de Capitu fitaram o defunto, quais os da viúva, sem o pranto nem palavras desta, mas grandes e abertos, como a vaga do mar lá fora, como se quisesse tragar também o nadador da manhã.
ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. Capítulo 123. São Paulo: Martin Claret, 2004.
O personagem-narrador do romance Dom Casmurro encontra-se, no capítulo transcrito, angustiado pela dúvida: o possível adultério de sua esposa, Capitu, com seu melhor amigo, cujo velório ora se narra. O título “Olhos de Ressaca” pode ser justificado pela seguinte passagem:
a) “Capitu olhou alguns instantes para o cadáver...”
b) “olhando a furto para a gente que estava na sala.”
c) “...como se quisesse tragar também o nadador da manhã
d “Redobrou de carícias para a amiga, e quis levá-la;”

3. (Conc. Federal) Machado de Assis, em Dom Casmurro, mostra Capitu como personagem de maior destaque. Bentinho nutria, em relação a ela, sentimentos de
(A) profunda admiração e respeito.               (B) amor desmedido.                (C) verdadeira veneração de ordem espiritual.
(D). nenhuma admiração ou respeito             (E) ciúme exacerbado

4.(UFL) Todas as alternativas apresentam informações sobre Dom Casmurro, de Machado de Assis, exceto:
(A) A questão do adultério, tratada de forma ambígua pelo autor, permanece em aberto no fim da narrativa.
(B) O narrador, através do exercício da memória, busca ligar o presente ao passado, a velhice à adolescência.
(C) O narrador protagonista, ao assumir a primeira pessoa, apresenta uma visão tendenciosa dos acontecimentos.
(D) A narrativa, marcada pela ironia, mantém uma relação intertextual com a tragédia Otelo, de Shakespeare.
(E)O autor, introduzindo-se na narrativa, fornece ao leitor informações que contradizem as opiniões do narrador.

5.(UFU-MG) Considere a obra Dom Casmurro, de Machado de Assis, e as afirmativas que se seguem:
I. D. Glória tentava impedir o casamento de Bentinho com Capitu, pois desejava que ele se unisse a Sancha.
II. Bento Santiago não teve problemas em homenagear o amigo Escobar, por ocasião de seu enterro, pois era seu melhor amigo.
III. A cena descrita no velório de Escobar (homens e mulheres chorando) é uma característica do Romantismo presente em todo o Dom Casmurro — obra que tem como tema os infelizes amores de Bentinho e Capitu.
IV. Apesar da suspeita de adultério, o amor consegue superar a desconfiança fazendo com que Bentinho se reconcilie com a família de Capitu.
V.“Olhos de ressaca” — referência dada a Capitu — evidencia o seu poder de envolvimento e o grande fascínio que ela exerce sobre Bentinho, tal quais as vagas do mar.
Assinale:
(A) Se apenas IV é correta.   (B) Se apenas I, II são corretas.    (C) Se apenas III e V são corretas.   (D) Se apenas V é correta. 
6.Ela saltou em meio da roda, com braços na cintura, rebolando as ilhargas e bamboleando a cabeça (...) numa sofreguidão (...) carnal, num requebrado luxurioso que a punha ofegante: já correndo de barriga empinada, já recuando de braços estendidos, a tremer toda, como se fosse afundando num prazer grosso que nem azeite em que se não toma pé e nunca se encontra o fundo."
O trecho acima faz referência ao personagem:
b.       Bertoleza               b. Rita Baiana          c. Marcela          d. Bertoleza
7.Assinale a alternativa que identifica e caracteriza a obra de Aluísio Azevedo a que pertence o trecho lido na questão 6
a. É um trecho de O mulato em que o autor faz uma crítica violenta aos preconceitos sociais e à decadência dos costumes da burguesia.
b. Trata-se do romance O cortiço, que focaliza a vida de imigrantes e pequenos operários dividindo espaços num meio promíscuo e miserável.
c. Refere-se a um trecho de O cortiço em que o autor faz um aprofundamento psicológico na análise das personagens que vivem numa habitação coletiva.
d. É um trecho de O mulato, considerado romance naturalista porque descreve sensualmente a mulata Rita Baiana com toda a sua força sedutora, fornecendo uma visão estática de uma situação apreendida fotograficamente em dado momento.



8.São características da obra O Cortiço, consideradas típicas do Naturalismo, entre outras,
a) o idealismo e o comportamento determinista.           d) a ênfase no aspecto material da vida e o comportamento sofisticado.
b) a representação objetiva da vida e o endeusamento do ser humano.       e) as comparações dos seres humanos com animais.    
c) a fuga à realidade e o positivismo exacerbado
9.Acerca do romance O Cortiço, de Aluísio Azevedo, não é correto dizer que:
a) as personagens, ainda que todas sejam pobres, possuem temperamentos distintos, tais como Bertoleza, Rita Baiana e Pombinha.
b) todas as personagens, por serem muito pobres, enveredam pelo mundo do crime ou da prostituição.
c) homens e mulheres são, na sua maioria, vítimas de uma situação de pobreza que os desumaniza muito.
d) as personagens, na sua maioria, sejam homens ou mulheres, vivem quase que exclusivamente em função dos impulsos do desejo e da perversidade sexual.
e) a vida difícil das personagens, tão ligadas à criminalidade e à prostituição, é condicionada pelo meio adverso em que vivem.
Bertoleza, que havia já feito subir o jantar dos caixeiros, estava de cócoras no chão, escamando peixe, para a ceia do seu homem, quando viu parar defronte dela aquele grupo sinistro. Reconheceu logo o filho mais velho do seu primitivo senhor, e um calafrio percorreu lhe o corpo. Num relance de grande perigo compreendeu a situação: adivinhou tudo com a lucidez de quem se vê perdido para sempre. Adivinhou que tinha sido enganada; que a sua carta de alforria era uma mentira, e que o seu amante, não tendo coragem para matá-la, restituía-a ao cativeiro. Seu primeiro impulso foi de fugir. Mal, porém, circunvagou os olhos em torno de si, procurando escapula, o senhor adiantou-se dela e segurou-lhe o ombro.
— É esta! Disse aos soldados que, com um gesto, intimaram a desgraçada a segui-los. — Prendam-na! É escrava minha!
A negra, imóvel, cercada de escamas e tripas de peixe, com uma das mãos espalmada no chão e com
a outra segurando a faca de cozinha, olhou aterrada para eles, sem pestanejar.
Os policiais, vendo que ela se não despachava, desembainharam os sabres. Bertoleza então, erguendo-se com ímpeto de anta bravia, recuou de um salto, e antes que alguém conseguisse alcançá-la, já de um só golpe certeiro e fundo rasgara o ventre de lado a lado. E depois emborcou para a frente, rugindo e esfocinhando moribunda numa lameira de sangue.
João Romão fugira até o canto mais escuro do armazém, tapando o rosto com as mãos.
Nesse momento parava à porta da rua uma carruagem. Era uma comissão de abolicionistas que vinha, de casaca, trazer-lhe respeitosamente o diploma de sócio benemérito.
Ele mandou que os conduzissem para a sala de visitas.
(AZEVEDO, Aluísio. O Cortiço. Rio de Janeiro)
10. Qual a importância da personagem Bertoleza para o crescimento econômico de João Romão?



11. Comente sobre o comportamento de João Romão e Bertoleza, explicitando por que esses personagens se enquadram no Realismo/Naturalismo.



12. Em O Cortiço, Aluísio Azevedo reafirma a ideologia do Naturalismo e cumpre à risca alguns princípios cientificistas vigentes na segunda metade do século XIX. Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela que Não corresponde às propostas da escola Naturalista.
a) O caráter determinista da obra tem como símbolo a personagem Pombinha, que, se antes era "pura" e de boa conduta moral, acaba prostituindo-se por força daquele meio sórdido e animalesco.
b) O narrador de O Cortiço acentua o lado instintivo do ser humano através de um processo de zoomorfização, identificando seus personagens a diferentes animais, sobretudo a insetos e vermes, quando os descreve em seu vaivém pelo cortiço.
c) Ao enfatizar as atitudes inescrupulosas de João Romão para com os habitantes do cortiço, em especial para com a negra Bertoleza, o autor confirma as preocupações sociais do Naturalismo em sua inclinação reformadora.
d) Os personagens de O Cortiço constituem-se, em sua maioria, dos operários das pedreiras, das lavadeiras e de outros miseráveis que ali vivem de forma degradante, o que evidencia a preferência do escritor naturalista pelas camadas mais baixas da sociedade.
e) Em O Cortiço, Aluísio Azevedo exprime um conceito naturalista da vida e, ao idealizar seus personagens, integra-os a elementos de uma natureza
13. Sobre a obra O Cortiço de Aluísio Azevedo é correto o que se afirma em todos os enunciados abaixo, exceto:
e.        As personagens são determinadas por um contexto de pobreza que as reduz à condições de animais.
f.        Não há na obra preconceito entre os personagens, embora haja vários tipos sociais todos são tratados com respeito.
       c.     Na obra, percebe-se a influência do Determinismo
d.       Há duas classes que se condicionam mutuamente: exploradores e explorados
14. Responda a questão a seguir a partir do fragmento de Memórias Póstumas de Brás Cubas:
(...) Um poeta dizia que o menino é o pai do homem. Se isto é verdade, vejamos alguns lineamentos do menino. Desde os cinco anos merecera eu a alcunha de “menino diabo”; e verdadeiramente não era outra coisa; fui dos mais malignos do meu tempo, arguto, indiscreto, traquinas e voluntarioso. Por exemplo, um dia quebrei a cabeça de uma escrava, porque me negara uma colher do doce de coco que estava fazendo, e, não contente com o malefício, deitei um punhado de cinza ao tacho, e, não satisfeito da travessura, fui dizer à minha mãe que a escrava é que estragara o doce “por pirraça”;
Por que pode se afirmar que o personagem Brás Cubas apresenta características do Realismo, movimento literário da segunda metade do século XIX?
15. Faça comentários a respeito da obra Memórias Póstumas de Brás Cubas evidenciando as características do Realismo e o estilo do autor Machado de ASSIS.